e-mail

QUEM SOMOS

       ciberzine & narrativas de james anhanguera



meio século
de psicodelia
e bossa nona

bossa nova
The Beat
Goes ON

a fome
no mundo e
os canibais


as ditas
moles e as
ditaduras


Brasil de
Caminha a
Lula da
Silva

Brasil
a bossa e a
boçalidade

Miconésia
no Pindaibal

Brasil e
A
mer ica
Latina

  contracultura









história
do uso das
drogas

aldous
huxley

henry david
thoreau

ERA UMA VEZ
A
REVOLUÇÃO


poP!

Notícias
do
Tiroteio


Lusáfrica
brasileira

parangopipas
Maio de 68
 50 do 25 Rumo à
Estação Oriente

A triste
e bela saga
dos brasilianos

La triste
e bella saga
dei brasiliani


Deus e o
Diabo na Terra
da Seca

Música do
Brasil de Cabo
a Rabo

Maionese
a consciência
cósmica




  meio século de psicodelia e bossa nova  


Psicodelia e bossa nova – o que tem a ver coisa com coisa? Tem tanto que em 1965 Petula Clark cantava So listen to the rhythm of the gentle bossa nova em Downtown. Drum'n'bossa? Rock'n'bossa. Jazz'n'bossa, bossa jazz. E "antigamente" hoje não é como o de bondes puxados por burros e lampiões de gás.

É de Normal Mailer a expressão white negro. O branco negro que faz rock e jazz e o white negro brasileiro que faz bossa e bossa jazz. Vinícius de Moraes é beat?!...

Psicodelia e bossa nova segue daqui

BOSSA NOVA

 meio século de canções do amor demais



Admirável mundo novo da beat generation a TrumRASputin   DAQUI



Kris - Ingmar Bergman - 1946

                                                                        
1968. Skammen, Shame, Vergonha em todas as línguas, Bergman despeja a bílis
encenando guerra dilacerante que despe as pessoas de toda a boa intenção e as põe
na jangada de Géricault, as entranhas, cada átomo do ser físico e mental exposto
a nu pela guerra reveladora da essência do animal, racional. Guerra,
suprema criação humana...          




dos hipsters a TrumRASputin   DAQUI





2022

 Nossas vidas na mão de milicianos quais Bolsonaros, Trumps, Baris Johnson, Putin - caricaturas século 21 da era dos ditadores do tempo de Admirável Mundo Novo e Sem Olhos em Gaza de Aldous Huxley no século 20, há quase um século, que diferença - e pra quê, terra arrasada pela ganância e fome e guerras dos sem fins e muitos locais inacessíveis (Khyber Pass) e resorts e viagens organizadas a shopping centers todos i-guai-zinhos aqui e em San Petersbourg perspectivada em La vie mode d'emploi de Perec meio século depois e porquê. Por ganância. Só ganância e pilantragem.



 AQUI

leitura associada ao dossiê A Fome no Mundo e os Canibais sobre opressão política e social                                              ...                AQUI66




Agosto 2016

                                                                                              foto Vilma Lobo Abreu - reprodução do Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 1993/setembro/12                  

 

Brasil: economia política história sociedade -   incluindo Brasil de Lula a Temer

Anhanguera explora o bandeiranditismo brasileiro 350 anos depois 

de desbravar o sertão goiano para JK nele implantar Brasília.

Dezembro 2016

trechos on-lineeem PDF e videotecos apresentações trechos em formato videobook

.. .

MANICOMICO 

Julho 2020





em relação a 1976-78, (até má)criação e arte a mil e perspectivas de futuro para corações futuristas



M i c o n é s i a   2 0 2 0  -  n o  P i n d a i b a l

Nada a ver com JK - anos dourados - bossa nova - escultura de Lygia Clark - desenho
de Niemeyer e Aloísio Magalhães - cinema novo - Clarice Lispector 40 anos depois.

Paupéria. Uma região de parcas pecúnias de Pindorama. Paupéria: miserabilismo terceiro-mundista. Pindaíba. Paupéria: inversão cinza e sistemática do baudelairiano convite à viagem, onde tudo é senão desordem, feiúra, pobreza, inquietação e antivolúpia: tristeresina total. Waly Salomão, 1992. 15 anos depois de Corações Futuristas.

40 anos depois, Pindaibal numa região do resto do mundo que pouco importa e que nunca foi tão parecida com os seus estereótipos. Na mesma pindaíba e boçalidade fangueira dos tempos de Canudos e do cinema novo.


Manifestação no Rio de Janeiro 2013

Boquitas Pintadas

Manuel Puig





Novelas & Trivelas

Boleros & Baladas



AS IMAGENS CLÁSSICAS

 

..Nunca a América Latina se pareceu tanto com os seus estereótipos
...            ..

Brasil e América
Latina
no fim do mundo do planeta-mercado da
 
era  TrumRASputin


clique abra PDF

João Selvagem, a personagem central do romance de Aldous
Huxley, nasceu e cresceu a decorar Shakespeare numa reserva de humanos da civilização anterior ao Estado único ou Governo Mundial de Admirável Mundo Novo, nem por acaso situada na região do Novo México. A América Latina hoje é uma reserva de humanos da civilização anterior ao governo mundial TrumRASputin                                                                         



  nova cultura, pouco importa a idade - e o para a cultura contra natura 

DAQUI CONTRACULTURA

Henry_David_Thoreau.html

Aldous_Huxley

Breve História (do Uso) das Drogas da Antiguidade

            a Aldous Huxley          seguida de

Breve História(do Uso) das Drogas de Aldous Huxley aos nossos dias

                               Breve_Historia_das_Drogas


 

so listen to the rhythm of the gentle bossa nova

narrativas de rock estrada  e assuntos ligados


          SOFTMACHINE.htm

electric ladyland

          5O anos do último disco
    da trilogia básica de jimi hendrix

  DE WOODSTOCK 




 

ZAPPA.htm




         

instant karma's gonna get ya

    

    

Albatross


50 anos de flower power




 

and round in the circle game

é daqui




and round in the circle game


Van Morrison
     & Them

  Them Again


San Francisco
Jefferson Airplane
Volunteers

Loudon
Wainwright
III
Plane Too


  Laura Nyro

 

   Stevie Wonder
             land


Tyrannousaurus Rex
Marc Bolan

          


Randy Newman



Al Kooper
M.C.



      VISITA il  canale   www.youtube.com/@revoluciomnibus        

VISITA il  canale   www.youtube.com/@revoluciomnibus




VIVA GODARD
je vous salue jean-luc godard

jean-luc godard/ rolling stones
1 + 1  sympathy for the devil

'''

jean-luc godard le mépris
frame

 



jean-louis trintignant

bertolucci-ferreri SPARATOIA

bertolucci-ferreri DUE LUNE




 lina wertmuller milano graffiti

Antonioni a Zappa

antonioni id di una donna




antonioni frame 1

antonioni frame 3

antonioni frame 2





Viaggio in Italia
estate Capri Toscana

Viaggio in Italia
Liguria Toscana Lazio

Alba di Elba



Luigi Zampa
la ragazza del palio

Luigi Zampa
ragazze d'oggi

Luigi Zampa
la ragazza del palio



Marco Ferreri - Come sono buoni i bianchi!

leia abaixo trechos de narrativas e ensaios de james anhanguera           QUEM SOMOS

  almanaque das ideias cores e sons        

do maior movimento de juventude da história

   da era do rock & da contracultura  

  50 anos de Flower Power  

 &   MAIO DE 68

  Falcão       
Zico
Sócrates
 
Cerezo
Júnior Dirceu

    Edinho Batista Pedrinho

 Juary  Elói  Luvanor 


  A triste e bela saga
dos brasilianos

da tragédia do Sarriá
às arenas italianas
     

 

Notícias
do 

Tiroteio

ontem hoje e sempre



Eternit  alvenaria  móveis da casas
bahia  sambagode  breganejo rap funk 
& derby azul
 

no  sacolão  do  faustão

Novelas & Trivelas
Boleros & Baladas


Rumo à Estação Oriente

MUSAK DO ELÉCTRICO DO SÉCULO XXI travelog



movimentos catatónicos da Parvónia  ao eurochoque 
e regresso à Parvónia globalizada

Uma crónica lisboeta com certeza



LusÁfricabrasileira

   lusáfricabraseira  

 



 

  MÚSICA DO BRASIL
DE  CABO A RABO

 Música  do Brasil de Cabo a Rabo é um livro com a súmula de 40 anos de estudos de James Anhanguera no Brasil e na América do Sul, Europa e África. Mas é também um projeto multimídia baseado na montagem de um banco de dados com links para múltiplos domínios com o melhor conteúdo sobre o tema e bossas mais novas e afins. Aguarde. E de quebra informe-se sobre o conteúdo e leia trechos do livro Música do Brasil de Cabo a Rabo compilado a partir do banco de dados de James Anhanguera

 Parangopipas

no ar com  Waly  Saloo sailormoon   marinheiro da lua  DAQUI luz sobre os  parangolés de H.O.DAQUI   

com Cláudio Mamberti DAQUI  

com Laurent . Goddet  DAQUI  com Régine  Melllac

rango   Para

Parangopipas


mais detalhes e atalhos para índices e trechos das narrativas

janela com vista para a contracultura e o para a cultura contra natura


ideias cores e sons do maior movimento de juventude da história

cronistória romanceada da era do rock revolta e das revoluções

.550 anos de
Flower Power

e

MAIO DE 68

55 years ago today 
         Sgt. Pepper's taught the band to play
 
       




 Há 55 anos Verão do Amor e Revolução das Flores. O homo occidentalis atinge a consciência cósmica. E cai no que pode parecer ter sido apenas um megacarnaval psicodélico. Mas as prerrogativas da nova consciência de sonho feliz de cidade campos e espaços poderiam talvez salvá-lo e as outras espécies da extinção iminente. Meio século depois e mais de 40 sobre a Revolução das Flores e o Verão do Amor de portugueses e vagamundos internacionalistas, que também vivenciou no exílio europeu, eis o relato vivo e colorido de Edgar Lessa das idéias e acontecimentos que o formaram. Ou quem sabe o deformaram...


o livro do rock

e da contracultura


Por dentro e por fora em Londres

Terra da dama eletroacústica

Medo atraso e rock no grotão

Era uma vez a revolução

Droga loucura e vagabundagem

Era uma vez as revoluções

Rumo às ilhas da utopia




so listen to the rhythm of the gentle bossa nova

narrativas de rock estrada e assuntos ligados

Vejam meus filhos; existem quilos

de
  filmes
sobre isso. Nos Estados

 
Unidos  já tinha muita   gente
 
brincando com Super-8. Em qualquer

lugar, onde
quer que rolasse alguma

coisa, as câmeras de TV estavam lá,

ao vivo.
Câmeras fotográficas nem

  se fala. Quantos slides   não foram

feitos daquilo
tudo?

50 anos de

Flower Power

e  

MAIO DE 68

AQUI


DAQUI PARA TRECHOS DE

EM  PORTUGUÊS  LUSO DAQUI

nova cultura, pouco importa a idade  - e o para a cultura contra natura

YEARS  OF  THE  GUN

1968 ... e 69 e 77 e 78 ... e a Itália pega fogo    AQUI

E S P E C I A L


Terra da Dama Eletroacústica

A terra da dama elétrica e a ilha envolta pelo nevoeiro imaginada pela dama eletroacústica são a ilha do visionário do Surrey, a utopia que se pode captar em sobrevoos psicodélicos, por exemplo, mas não viver em pleno, porque imaterializável – sonho de Atlântidas, Ítacas, Utopias, Lilliputs, Nações de Woodstock; fantasia da terra do nunca, talvez a maior das sonhadas pelo homem; o paraíso em vida, dentro de nós e em tudo ao redor.

versão integral do capítulo a partir  DAQUI

ELOÍSA  OU  A MAIS NOVA HELOÍSA 

OU  ELOITH E O DESTINO

trechos dos capítulos Era uma vez a revolução e  Droga, Loucura e Vagabundagem - romance dentro da crônica histórica romanceada

AQUI

 

 VAGABUNDAGEM

 um tema fora de moda

Jack Kerouac termina seu livro de crônicas Lonesome Traveler / Viajante Solitário (1960) com o ensaio O Vagabundo Americano em Vias de Extinção. Aquele vagabundo americano   ...

trechos dos capítulos Era uma vez a revolução e  Droga, Loucura e Vagabundagem  que compõem um romance dentro da crônica histórica romanceada sobre a era posterior a Jack Kerouac em que ainda foi possível vagabundear pelas estradas fora em trips interiores e exteriores antes do fechamento das fronteiras ao turismo existencial ou "sem propósito" ou "a despropósito" - a partir    DAQUI

E S P E C I A L

relato inÉdito DO 25 de abril EM PORTUGAL 1974

Enquanto crescíamos havia muita gente que acreditava que ainda iria viver num mundo totalmente diferente. Hoje em dia parece que tudo aquilo sequer existiu.

Quem jamais ousará de novo acreditar na regeneração da humanidade?

com dados exclusivos de fatos marcantes que o precederam e sucederam dos palcos da história - cafés, casas de espectáculos, repartições, quarteis, meandros políticos, comunicação social (directo da Rádio Renascença) e submundo


1970-1975          2020-2025
50 anos esta noite
25 de Abril de Cabo a Rabo

relato inédito com dados exclusivos de fatos marcantes que precederam e sucederam a queda da ditadura portuguesa 1928-1974 com a cronologia em insights originais dos antecedentes do maior acontecimento da história portuguesa no último meio século, da madrugada dos filhos da madrugada, do chamado PREC (Período Revolucionário em Curso) e do retorno à "normalidade", a uma outra realidade. Ao mesmo fado?

DAQUI  Primavera Marcelista

DAQUI   último semestre do regime

DAQUI.◄  a partir da madrugada de 24 para 25 de Abril de 1974

5 de julho de 1982 – 15 de maio de 1983
1982-85 · 2022-25 

40 anos da tragédia de Sarriá  

                   do histórico scudetto da Roma de Falcão

   e do nascimento do futebol-indústria na Itália

           Leia o livro e assista o jogo 40 anos depois

PORQUE O FUTEBOL PERDEU


As Torres Gêmeas do WTC, Nova York, tinham acabado de implodir e um editor romano me pergunta: Ma perché lei non scrive sui brasiliani di adesso?   Primavera no Rio – os curiós dão os primeiros pios. Cafu, Ronaldo, Rrrroberto Carlos em nove meses iriam conquistar o pentacampeonato.

Essa aí está pintando como a primeira geração de grandes craques desde a que se revelou ao mundo na Copa da Espanha de 1982.

  Vinte anos da tragédia do Sarriá, que transcorreriam em 2002...        É forçar demais a barra propor um flashback a algo que parece tão remoto.

       

Passam-se cinco anos e a geração pentacampeã vai para a Alemanha para a indubitável conquista do hexa, o Brasil tecnicamente muitíssimo superior, a anos-luz de qualquer seleção em 2006.

  Manchete do dia do Brasil-França, uma das quartas-de-final na Alemanha:

Hoje Zidane se aposenta  

  De novo Zinedine Zidane dá show e após um lençol em Ronaldo lança a bola na medida para Thierry Henry fazer 1 a 0. Zidane lembrava um pouco  o Falcão na Copa de 82. A elegância com que jogava quando recebia a bola, parava, olhava... parecia um poste distribuindo jogo da esquerda para a direita – comenta o narrador do jogo em que Cafu, Rrrrroberto Carlos... se despediram da amarelinha.

Craques ex-pés-rapados quaquimilionários passam a ser execrados por falta de atitude e vibração num certame em que dão a entender

 

Falcao

Zico Sócrates

Cerezo Júnior Dirceu

Edinho Batista  Pedrinho

Juary Elói Luvanor










legal      legal      legal


   legal   legal

 

A triste

e bela

saga dos

brasilianos

da tragédia de Sarriá às arenas italianas

     

não terem mais nada a conquistar. Ao contrário da seleção de 82, que não conquistou nada. 

Dessa vez não amarelaram como Ronaldo em 1998. Esnobaram o único biscoito fino que a massa desvalida pode consumir.Falta de brio, até falta de caráter... de tudo são acusados.

Relembram o Rrrrroberto Carlos ostentando, todo prosa, relógios de 100 mil dólares antes da Copa de 98. Quanta diferença da garbosa seleção da democracia corintiana e das Diretas-Já.

De uma hora para outra o povão destrói os ornamentos que levou semanas para

A SANHA A GRAÇA E A POSE 

 fazer, mulheres e crianças cortando e amarrando tira a tira as tiras e bandeiras auriverdes pendões dessa pátria, e rasga a suada e trêbada camisa falsificada da seleção que nunca talvez foi tão favorita ao título antes do torneio.

Desirmanados da indig-nação idólatra os craques são xingados.   Em contrapartida a seleção de 82, que inesperadamente encheu os olhos de todo mundo, demonstrando ser a favorita em campo com o seu futebol-arte, surpreendida pela squadra azzurra na histórica tragédia do Sarriá chorou pela eliminação e foi recebida com festa pelos torcedores.  

O que mudou tanto em 25 anos?  

Os craques de 82 protagonizaram o nascimento do futebol-indústria que tirou garbo ao jogo e aos jogadores. Meio sem jeito por participarem numa farsa denunciada pela atitude discreta porém contundente de Sócrates, o Doutor Diretas-Já, quando de nível superior os futeboleiros de antanho tinham, além da classe, o que falta a muito craque de hoje em dia – enxergômetro. E garra. Mesmo na derrota que espelha os mais graves dissabores da vida. E se não tinham cabeça para administrar a carreira e a imagem se estrepavam de verdade.

  Porquê a geração de 1982, que não ganhou nada, é sempre lembrada. Porquê o futebol perdeu a sanha, a graça e a pose

É o que se lê DAQUI

































 

AO  VIVO  DIRETO  DO  BERÇO  DO  FUTEBOL-INDÚSTRIA . DAQUI            IN ITALIANO .. DI QUA

ebook formato  EPUB         acquista e SCARICA

revoluciomnibus.com eBookstore

ACQUISTA  La triste e bella saga dei brasiliani di james anhanguera ebookSTORE



video-illustrazione di La triste e bella saga

dei brasiliani su youtube play


      VISITA il  canale   www.youtube.com/@revoluciomnibus        

VISITA il  canale   www.youtube.com/@revoluciomnibus

video-illustrazioni di La triste e bella saga dei brasiliani su youtube






Italia campione del mondo

Italia ai Mondiali 1982

Italia 3-2 Brasile 1982

1982 Gentile annulla Zico

Zico: le vicende in Italia






Berlusconi ed il calcio

Sordi sul fenomeno Falcao

Falcao verso lo scudetto

Roma verso lo scudetto

Roma verso lo scudetto 2


LEIA TRECHOS DE UMA CRÓNICA LISBOETA COM CERTEZA  AQUI



P

Paupéria: uma região de parcas pecúnias de Pindorama,
isto é,  a  terra  das  jussaras, das íris, das pupunhas, dos
licorese dos babaçus.
Paupéria:
miserabilismo terceiro-
mundista. Pindaíba.
(O Terceiro Mundo, essa cilada
conceitual.)
Paupéria: inversão cinza e sistemática do
baudelairiano
convite à viagem: onde tudo não é
senão desordem,
feiúra,  pobreza,  inquietação e
antivolúpia:
tristeresina total.

Waly Salomão
Cave canem, cuidado com o cão



TRECHOS DESSA AVENTURA   AQUI

RISTERESINA

BANGUE BANGUE NA
TERRA DO SOL

 

 

 



duna 
do por

do sol

Coriscos & Dadás Lampiões & Marias Bonitas



Até calango pede sombra

 

GLAUBER ROCHA      

 


  A INDUSTRIA DA SECA


No Pátio dos Milagres do Padim Ciço

O triste e belo fim de Joana Imaginária

 

& Antonio Conselheiro

        INDISSECA




...

Os Sertões     Euclides da Cunha      Canudos Hoje 

 

  TRECHOS DESSA AVENTURA AQUI




Música  do Brasil de Cabo a Rabo é um livro com a súmula de 40 anos de estudos de James Anhanguera
no Brasil e na América do Sul, Europa e África. Mas é também um projeto multimídia baseado na
montagem de um banco de dados com links para múltiplos domínios com o melhor conteúdo sobre o tema
e bossas mais novas e afins. Aguarde. E de quebra informe-se sobre o conteúdo e leia trechos
do livro
 Música do Brasil de Cabo a Rabo, compilado a partir do banco de dados de James Anhanguera.

MÚSICA DO BRASIL DE CABO A  RABO

Você já deve ter visto, lido ou ouvido falar de muita história da música brasileira da capo  a coda, mas nunca viu, leu
ou ouviu falar de uma como esta. Todas as histórias limitam-se à matéria e ao universo musical estrito em que se originam,
quando se sabe que música se origina e fala de tudo. Por que não falar de tudo o que a influenci
a
de que ela fala sobretudo
quando a música  popular brasileira tem sido quase sempre um
dos melhores veículos de informação no  Brasil? Sem se
limitar a dicas sobre formas musicais, biografia dos criadores  e títulos de   maior destaque. Revolvendo todo o terreno em
que germinou, o seu mundo e o mundo do  seu tempo, a cada tempo, como fenômeno que ultrapassa - e como - o fato musical em si.
 

Destacando sua moldura nessa janela sozinho olhar a cidade me acalma dando-lhe enquadramento
estrela vulgar a vagar, rio e também posso chorar... histórico, social, cultural e pessoal.
  Esta é também a história de um aprendizado e vivência pessoal.

De um trabalho que começou há quatro décadas por mera paixão infanto-juvenil, tornou- se matéria de estudo
e reflexão quando no exterior, qual Gonçalves Dias
,
o assunto era um meio de estar perto e conhecer melhor a própria
terra distante e por isso até mais
atraente. E que como começou continuou focado em cada detalhe por paixão.
                                                                                CONTINUA AQUI

  CORAÇÕES FUTURISTAS nunc et semper AQUI

MÚSICA DO BRASIL  DE  CABO A RABO

ÍNDICES - mais de 3000 referências - artistas personagens e personalidades citados e com obras citadas e comentadas standards internacionais associados ENTRADA PARA ARTISTAS E REPERTÓRIO CITADOS E TRECHOS ACESSÍVEIS PORTAL DE TODAS AS ENTRADAS PARA
       MÚSICA DO BRASIL  DE  CABO A RABO

ARTISTAS DE A A Z

ÍNDICE TEMÁTICO

REPERTÓRIO            mais de 4000 entradas

CLÁSSICOS COLETÂNEAS STANDARDS

RITMOS ESTILOS FOLGUEDOS E INSTRUMENTOS

FONTES BIBLIOGRÁFICAS 

FILMES VÍDEOS PROGRAMAS DE RÁDIO E TV PEÇAS TEATRAIS

ÍNDICE DOS CAPÍTULOS 
capítulos ou seções de capítulos com trechos acessíveis a partir de seus títulos, alguns em azul DeLink


     O LIVRO DA SELVA 

    Productos Tropicaes   e   Abertura em Tom Menor

    1.    O BRASIL COLONIZADO     raízes & influências Colônia e Império   

       1.  Um Índio   1. B   Pai Grande    1.C  Um Fado 
       2.
TUPY NOT TUPY formação de ritmos e estilos urbanos suburbanos e rurais
                                                Rio sec. 19-sec. 20 - Das senzalas às escolas de samba

    Os Cantores Do Rádio            a  ESTreLa SoBE 

             CARMEN MIRANDA DE CABO A RABO

               fenômeno da cultura de massa do século XX                  


    4. BOSSA NOVA do Brasil ao mundo

        Tom Jobim  INÚTIL PAISAGEM.htm  

5. BOSSA MAIS NOVA o Brasil no mundo
6.
TROPICALIA TRIPS CÁLIDOS E a manhã tropical se inicia      


Detalhe de cenário de Rubens Gershman para montagem de Roda Viva, Teatro Oficina, 1967

 O LIVRO DE PEDRA

  PARA LENNON & McCARTNEY 
  VIDA DE ARTISTA crise e preconceito = inguinorãça
 
CENSURA: não tem discussão. Não            
 
POE SIA E MÚSICA POPULAR BRASILEIRA
  O SOM É MINAS: OS MIL TONS DO PLANETA        
  MARIA TRÊS FILHOS

  (SEMPRE) NOVOS BAIANOS        
  NORDESTONTEM NORDESTHOJE

  RIO &TAMBÉM POSSO CHORAR
   Gal  Macalé  Waly  Torquato  Lanny Bethânia
  FILHOS DE HEITOR VILLA-LOBOS
 
INSTRUMENTISTAS & INSTRUMENTAL Sax Terror     
  SAMBA(S)
BLEQUE RIO UM OUTRO SAMBA DE BREQUE        
  FEMININA

  MULHERES & HOMENS NO EXÍLIO o bêbado exilado & a liberdade equilibrista
  ANGOLA          
  ROCK MADE IN BRAZIL ou
 Quando a rapeize solta a franga

  LIRA PAULISTANA            
  CULTURA DA BROA DE MILHO

  LAMBADA  BREGANEJO AXÉ E SAMBAGODE
 
RIO FUNK HIP SAMPA HOP E DÁ-LE MANGUE BITE RAPEMBOLADA
  DRUM’N’BOWSSA            
  CHORO SEMPRE CHORO     
  INSTRUMENTISTAS
 & INSTRUMENTAL II   SAX TERROR  NA NOVA ERA
  ECOS E REVERBERAÇÕES DO SÉCULO DAS CANÇÕES
  
  DE PELO TELEFONE A PELA INTERNET

   MÚSICA DO BRASIL em  A triste e bela saga dos brasilianos
  
MÚSICA DO BRASIL  em ERA UMA VEZ A REVOLUÇÃO      

   D'après João Botelho (1978) d'après Elifas Andreato (1976)



Elifas Andreato: capa do LP Confusão Urbana Suburbana e Rural de Paulo Moura

   Disco Básico                                  8 (+1)   Disco Básico   DE UMA VEZ

MILTON NASCIMENTO                        1970-1980

                 .
                                               Milton (1970)                         Clube da Esquina (1972)                          Milagre dos Peixes (1973)         Milagre dos Peixes Ao Vivo (1974).

           .. 
                                              Minas (1975)                                           Geraes (1976)                      Clube da Esquina 2 (1978)                                       Sentinela (1980)

Wayne Shorter     Native Dancer (1974)                

recado sobre Milton Nascimento e o chamado Clube da Esquina está em Música do Brasil de Cabo a Rabo

revoluciomnibus.com    DAQUI     Musica_do_Brasil-Milton_Bascimento-Clube_da_Esquina.html
e em Outros Discos Básicos       o famoso disco do tênis de Lo Borges,          Aquele .que se levaria para a ilha
deserta
E O CLUBE DA ESQUINA            
    DAQUI   

Quando Milton Nascimento juntou o grupo, a tribo, entre São Paulo, Rio de Janeiro e Belzonte (Roberto Silva fala em sua estreia no Som Imaginário na Sexta-Feira Santa de 1969 em São Paulo) gerou uma explosão baseada na exploração do universo de sons com uma plêiade de instrumentistas e poetas de primeiríssima entre Minas Gerais, a espanholada do mineiro, como a ela se referiu Mário de Andrade nos anos 1930, cantochão gregoriano, toada, congada e barroco, jazz, batuque africano e afrobrasileiro, bossa nova e pop rock em torno de sua voz forte de timbre único e extensão do arco da velha por toda a década de 1970 em que navegou também com Ron Carter, Hubert Laws, Herbie Hancock e Wayne Shorter, e em que o Som Imaginário e Clube da Esquina gravou alguma da música mais bela e criativa e PLURIFACETADA da era de Weather Report, Joni Mitchell, Santana, Frank Zappa, aqueles lá, Miles Davis, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti e y' name it, discos básicos
a saber

Milton Nascimento pré-estreia:
Sambacana (Pacifico Mascarenhas):

Muito pra frente (1965) - Milton Nascimento estreia à frente de um quarteto vocal

Milton Nascimento estreia:
Travessia (1967) Milton Nascimento (1969) - Milton Nascimento revela VOZ e REPERTORIO
de estalo e de espanto

Milton (1970) Clube da Esquina (1972) Milagre dos Peixes (1973) Milagre dos Peixes ao Vivo
(1974) Mina
s (1975) Gerais (1976) Clube da Esquina 2 (1978) Sentinela (1980) - A década do
desbunde do Som Imaginário e Clube da Esquina

Native Dancer Wayne Shorter (1974) - cinco de nove faixas de e com Milton Nascimento.
Um capolavoro com tres faixas de autoria de Wayne (uma dedicada a Ana Maria,
responsável pelo encontro sacramental) e uma de Herbie Hancock, o
pianista do disco, com
Robertinho Silva (bateria) Ron Carter (baixo) Airto (percussão). Wagner Tiso no órgão dá o
toque mais progrock da discografia do saxofonista.

 

ROBERTINHO, DANILO CAYMMI, NOVELLI, LUÍS ALVES, FREDERYKO, BETO GUEDES, WAGNER TISO, DORI CAYMMI, NELSON ANGELO, NANÁ VASCONCELOS, TONINHO HORTA, LÔ BORGES, TAVITO, FERNANDO BRANT, MARCIO BORGES, RONALDO BASTOS, RUY GUERRA, PAULO MOURA, NIVALDO ORNELLAS, PAULINHO BRAGA, JAMIL JOANES

ECOS E REVERBERAÇÕES DO SÉCULO DAS CANÇÕES
Milton Nascimento e o chamado Clube da Esquina estão em MÚSICA DO BRASIL DE  CABO A RABO

revoluciomnibus DAQUI Musica_do_Brasil-Milton_Bascimento-Clube_da_Esquina.html

...and by the way   Milton Nascimento + sobre  Clube da Esquina em MÚSICA DO BRASIL DE  CABO A RABO Pai Grande

          Outros Discos Básicos:        Leia e veja sobre A Tábua de Esmeralda, Disco Básico de Jorge Ben a partir DAQUI   



revoluciomnibus.com eBookstore

acesse a integra e trechos de livros de james anhanguera  DAQUI

MAPA DA MINA MAPPA DELLA MINIERA AQUI
esse jornal é meu Revolver, esse jornal é meu sorriso

revoluciomnibus.com - ciberzine & narrativas ©james anhanguera 2008-2023

créditos autorais: Era Uma Vez a Revolução, fotos de James Anhanguera; bairro La Victoria, Santiago do Chile, 1993 ... A triste e bela saga dos brasilianos, Falcão/Barilla: FotoReporters 81(Guerin Sportivo, Bolonha, 1982); Zico: Guerin Sportivo, Bolonha, 1982; Falcão Zico, Sócrates, Cerezo, Júnior e seleção brasileira de 1982: Guerin Sportivo, Bolonha, 1982; Falcão e Edinho: Briguglio, Guerin Sportivo, Bolonha, 1982; Falcão e Antognoni: FotoReporters 81, Guerin Sportivo, Bolonha, 1981; Cinque Terre: encosta Liguria, Mariana Sales; Alemão, Rio: Getty Images/Época, São Paulo; É por tudo: Fábio Motta/Estadão Conteúdo;; Bendine/Petrobras: Wilson Dias/ABR; Val Machiori: Rafael Martins Impeachmment Já: J. Duran Machfee/Estadão Conteúdo; Dilma Rousseff: Evaristo Sá/AFP; Dilma Rousseff: Beto Barata/Folha Press; Desperado: Eugene Oshiko/AP; Xi Jinping/Kirchner: Juan Mabromata/AFP; Pipa no Dona Morta: Pedro Kirikos; Lula da Silva: Ricardo Stuckert/Inst. Lula; Globo Economia/Alemão, Rio: Tapumes no Congresso: Joel Rodrigues/Folha Press

  CONTATO E-mAIL

educação diversão desenvolvimento humano

facebook.com/ james anhanguera  twitter.com/revoluciomnibus instagram.com/revoluciomnibus -youtube.com/revoluciomnibus 



TM

Carolina Pires da Silva ou Lina da Selva e James Anhanguera

TM